Central de Atendimento 24hrs - 0800702-8337

prosat@prosatbr.com.br / (84) 3642-3422 / 3302-6138 / (85) 3253-6560 / 4141-3442

Divisão especializada em investigar o roubo de cargas já é uma realidade de SC

“A Divisão Especializada em Investigar o Roubo de Cargas já é uma realidade para Santa Catarina e depende apenas da formatura dos agentes que estão na Academia da Polícia Civil”, anunciou o delegado adjunto da PC/SC, Anselmo Cruz, em nome do delegado Geral da PC, Artur Nitz.
A declaração foi feita durante a Audiência Pública para tratar do Roubo de Cargas, promovida pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc). A grande discussão sobre o assunto, que envolveu empresários e trabalhadores do Transporte Rodoviário de Cargas (TRC), além de vereadores, deputados estaduais e agentes da segurança, ocorreu na Câmara de Vereadores de Itajaí.
A divisão, que é um pedido da Fetrancesc para a Secretaria do Estado de Segurança Pública, já possui, inclusive, titular nomeado. Ela será liderada pelo delegado Luiz Felipe Rosado e terá como principal missão a de concentrar dados e informações de roubos de carga em todo o Estado para o combate deste crime.
“A Polícia Civil está atenta a esta situação e quer banir estes criminosos, sejam eles quem for”, reforçou Cruz.
Os números, segundo Rosado, “mostram a necessidade da criação da Divisão”. Mas vai ser “a partir do momento em que nos estruturarmos, que conseguiremos trabalhar em cima dos registros do Estado com a finalidade de diminuir os furtos e roubos de carga em SC”, adiantou o futuro titular da Divisão.
O delegado regional de PC/SC de Itajaí, Angelo Fragelli, salientou a importância da criação da Divisão, além de dizer que o trabalho será realmente efetivo nesta repressão. No entanto, pediu a Cruz que solicite ao delegado geral da PC “um reforço no quadro policial, porque só assim faremos um trabalho efetivo”.
Para o presidente da Fetrancesc, Ari Rabaiolli, a notícia foi uma surpresa a ser comemorada pelo setor. “É uma honra poder discutir o assunto e ainda ser surpreendido com esta informação. Vamos, finalmente, atuar de forma reforçada para reduzir drasticamente este crime que afeta a toda a sociedade, claro, começando pelo Transporte Rodoviário de Cargas”, destacou.
“Não tenho dúvidas de que essa ação trará benefícios imediatos aos transportadores catarinenses”, reforçou o primeiro diretor secretário da Fetrancesc, Alex Breier. Ele participou da audiência junto à comitiva do setor da região.
Um “canal direto, com uso das tecnologias, para o registro de informações” é a sugestão do transportador de Itajaí, Sandro Savoldi, para facilitar a atuação da Divisão em conjunto com o setor.
O empresário comentou que eles acabam “nos tornando investigadores quando somos vítimas. Temos muitas informações, mas não podemos fazer nada. Precisamos que haja uma união do setor de segurança com a população para haver investigação e solução ao caso, um alento para o transportador”.
O presidente do Setcom, Ederson Vendrame, afirmou que “lá no Oeste a gente sente muito com o roubo de carga”. Ele falou, ainda, que os veículos roubados na região acabam sendo direcionadas para o litoral. “E como faz todo este trajeto sem sequer ser fiscalizado pela Polícia?”, questionou.
Vendrame questionou, ainda, sobre o veto do Poder Executivo ao Projeto de Lei similar ao 53.3/2017 votado na Alesc em 2014. “Naquela época o Governo alegou que o PL renunciava receita. O que é renúncia? Cassar a inscrição e deixar de contribuir por conta de um crime ou permitir que este crime continue ocorrendo?”, reforçou.
O investimento em pessoal e em tecnologia são fundamentais para o combate a este crime, na opinião do vereador de Itajai, Thiago Morastoni, propositor da Audiência Pública para a Alesc. “Estamos trabalhando pela segurança no nosso município, que serão colocadas à disposição para contribuir nesta ação”, disse o vereador ao encerrar a audiência.
Fonte: portalntc.org.br


Rodapé